Ciao a tutti,

Como falei no post anterior, irei falar sobre a residência na Itália. O contrato mais utilizado por aqui é de 4 anos renovaveis por mais 4. O contrato não pode ser do tipo transitório e sim habitativo.

Quando estava no Brasil planejando a viagem e selecionando em qual comune eu gostaria de realizar meu processo, pesquisei muito sobre a questão da residência.

Sempre ao pesquisar o comune, olhava o numero de habitantes, a estrutura da cidade, se possuia estação de trem e a quantidade de imoveis para alugar nos vários sites de locação.

Após a seleção das cidades, fiz uma lista com o nome de todas as comunes selecionadas e enviei email para elas, falando que em breve iria fixar residencia no comune e aproveitaria para realizar o reconhecimento da cidadania e perguntando se podiam analisar meus documentos.

– “Ahhh, mas você mandou email para vários comunes e isso não se deve fazer. Você deveria manter o foco em apenas uma.”

Para se ter uma ideia, enviei email para exatamente 32 comunes. Obtive resposta de 14 comunes. 3 respostas positivas de que poderia enviar a documentação e 11 informando que não poderiam analisar. Dentre essas 11 tiveram as que me descartaram imediatamente falando que não iriam fazer meu processo de reconhecimento.

As 3 comunes com resposta positiva que responderam, somente 2 analisaram e deram OK em tudo e 1 que até hoje não tive resposta.

A resposta dos comunes demoram muito!!! Até hoje recebo resposta com negativas (depois de quase 2 meses). Foram poucas que responderam imediatamente.

Com a decisão de qual comune realizar meu processo entrei em contato com as imobiliarias. Nesse momento começam os problemas. Elas não respondem e-mail e quando respondem perguntam se estamos na Itália.

Mesmo pesquisando em alguns sites e olhando os anuncios privados dificilmente temos respostas.

“- Então o melhor é embarcar para a Itália e olhar quando estiver la?”

Foi exatamente esse o meu caso. Muitos falam que a única forma de encontrar um local é andando pela cidade e olhando nas imobiliárias. O “chegando la eu resolvo” pode funcionar muito bem no Brasil, mas aqui na Itália não é bem assim. Pode até funcionar em cidades grandes onde as ofertas de imóveis são maiores. Em comunes de 40 mil habitantes para baixo esqueça!!!

Nos sites quando pesquisamos, algumas vezes encontramos inúmeras ofertas de imóveis para alugar. Ao chegar nas imobiliárias, muitos imoveis estarão disponiveis somente depois de 1, 3, 5 meses, outros ja estão alugados e não tiraram o anúncio do site.

Até o momento em que você encontra um imóvel e a pessoa da imobiliária pergunta se você tem emprego na Itália. Quando falamos que não, algumas já te descartam e outras deixam passar. As que me descartaram não aceitaram falar que tem trabalho no Brasil ou que é proprietário de uma empresa.

As que não descartaram aceitaram continuar a “negociação”. Bom, então agora que achei o apartamento e gostei vamos la ve-lo?! Não e não. Primeiramente o atendente da imobiliária irá entrar em contato com o proprietário para pegar as chaves. Somente depois disso você poderá ver o apartamento. E você deve pensar que eles entram em contato com o proprietário naquele exato momento?! Esquece. Somente no dia seguinte avisam que estão com a chave. Ainda assim, corre o risco do proprietário avisar que o imóvel foi alugado.

Ok. Depois de esperar a “agilidade” e “rapidez” das pessoas, fui no imóvel, gostei e gostaria de alugar. Agora chegou o momento de fazer a proposta para o proprietário. A proposta é feita por escrito e você deve pagar um mês de aluguel (que corresponde ao primeiro mês). Com isso a imobiliaria irá conversar com o proprietário. Isso no meu caso, levaram de 3 a 4 dias, desde a visita ao apartamento até a proposta ao proprietário e retorno da proposta. É praticamente uma semana e com o risco de acontecer o mesmo que ocorreu comigo, do proprietário não aceitar a proposta porque não tenho emprego na Itália. E não adiantou apresentar vários documentos como extrato bancário pessoa física e jurídica, contrato social, registro de veiculo meu e da empresa. Sem contar que pagaria a caparra de 3 meses (caparra é a garantia que eu dou caso não pague algum mês é usado esse dinheiro. Ele é devolvido no final do contrato, caso não tenha nada a ser descontado). O contrato que tentei foi de 4+4 com aviso de saida com um mês de antecedencia e 3 meses de caparra mais um mês da entrada.

O que peço a todos é que não saiam do Brasil achando que aqui será facil e simples achar imóvel para alugar. Pense bem antes de escolher essa opção.

Eu cheguei sabendo que seria muito dificil e agora tenho a percepção de que é extremamente difícil. Claro que existem milhares de casos de pessoas que deram sorte ao chegar e conseguiram imóvel imediatamente. Mas os que deram sorte estão na internet pra contar por causa da sorte. E os que tiveram o azar de não conseguir rapidamente, como foi o meu caso? Levei mais de 2 semanas para conseguir o imóvel e fui entrar nele depois de exatamente 3 semanas. E somente consegui um imóvel porque consegui o contato de uma senhora italiana que ajuda os brasileiros. Mesmo pra ela foi difícil encontrar um imóvel e conseguir um contrato da forma que deveria.

Todo o planejamento que fiz no Brasil referente a residência e escolha do comune foi por agua abaixo. De nada adiantou. Somente me mostrou que todas as pessoas que tem interesse em vir para a Itália realizar o processo de reconhecimento, devem saber muito bem o que vão enfrentar.

Isso é uma realidade que eu encontrei aqui. Com você pode ser diferente? Sim! Claro! Mas fiz esse relato pra caso você encontre muitas dificuldades, saiba que é normal e que outras pessoas passaram pelo mesmo.

E esse alerta da alta dificuldade em encontrar e alugar residencia não se vê no Youtube, facebook, curso ou escola de cidadania e por ser a etapa mais dificil são pouco debatidas e não conseguimos muitas informações.

Arrivederci.

Publicidade