Ciao a tutti!
Enquanto ainda aguardo o retorno do comune, irei contar como cheguei as primeiras informações sobre meu antenato italiano.
Meu avó é filho de italiano, já minha avó, é neta de italiano. Conseguir a cidadania pelo meu avô nesse caso é mais fácil, devido a menor quantidade de documentos que irei precisar.
Como meu avó faleceu em 2009, tive que olhar diretamente com minha avó se possuía alguns documentos que pudessem me dar uma luz sobre onde buscar os documentos.
Em primeiro lugar tirei cópia de todos os documentos que meu avô havia guardado durante vários anos. Certidões de nascimentos, casamentos e óbitos e também copias de documentos da prefeitura. Observando as certidões, o local de nascimentos constava apenas “Natural: Itália-Itália”. Nenhum documento italiano foi encontrado.
Aproveitando fiz a copia de alguns documentos que minha avó possuía de sua família (Piazzi-Piassi).
Analisando, havia uma cópia de um envelope e de uma carta. Guardei todos esses documentos pois em algum momento poderiam ser úteis.
Fui para casa e comecei a ler todos com muita atenção, quando no envelope havia o nome de uma cidade: Annicco. Pesquisei no google maps e vi que era uma cidade pequena, tendo a agricultura como seu forte, na região da Lombardia. Mas isso era relacionado a minha avó, e não ao meu avô (Milanez-Milanesi). De toda forma guardei a informação.
Um dia navegando pela internet, descobri o Arquivo Público Mineiro, onde fiz uma busca por todas as variações que poderiam existir do sobrenome Milanez. Eis que então, consegui encontrar todas as informações referente ao “Vapor” em que vieram, com o nome de todos da família e uma cópia do livro da Hospedaria de Imigrantes de Juiz de Fora! E com isso descobri que o sobrenome correto é MILANESI! Abrasileirado virou Milanez.
O que eu também não esperava é que no campo do contratante estava o nome do avô de minha avó, Pietro Piazzi. A naturalidade constava Paderno. Ao pesquisar a cidade encontrei Paderno Cremonese, hoje Paderno Ponchielli. Esta cidade é próxima a Annicco. Ao conversar com minha avó perguntando se existia alguma relação dos Piazzi com os Milanesi, ela lembrou que as famílias eram amigas na Itália. Um ponto muito importante nesse momento. Com todos esses dados a região da Lombardia já era uma certeza e, provavelmente, o aquivo de Cremona era o ponto central a ser pesquisado.
Sabendo a região e a capital, entrei em contato com o Archivio di Stato di Cremona para saber o local de nascimento de meu bisavô, Luigi Milanesi.
Descobri que era de Annicco e o restante da história vocês podem acompanhar nos posts anteriores.
Arrivederci!
Publicidade